Categorias
Curiosidades Gestão Empresarial

Mudanças organizacionais: O que é e porque saber?

Mudanças organizacionais nada mais são do que conjuntos de transformações (de diferentes tamanhos), que permitem que uma empresa vá de um nível para outro. Até algumas décadas atrás, esse tipo de transformação não acontecia com tanta frequência.

Contudo, com a globalização e o avanço da Era Digital, elas se tornaram mais frequentes! E, apesar disso, muitos empreendedores ainda sentem muita dificuldade de avançar dentro do mercado, movidos por essas transformações. 

Um bom exemplo disso é a LGPD. A Lei Geral de Proteção de Dados acabou gerando uma mudança no mercado como um todo, mas, segundo um levantamento da Fundação Dom Cabral (FDC), menos de 40% das empresas estão realmente prontas para ela, sendo que as multas e penalidades pela não adequação já estão em vigor. 

O fato de muitas empresas não estarem prontas para mudanças em relação a segurança de dados é apenas uma pequena prova dessa dificuldade. Se levarmos em consideração que essas transformações podem englobar desde a implementação de novas tecnologias até a identidade de uma empresa, a falta de preparo se mostra ainda mais evidente. 

Tipos de mudanças organizacionais 

Podemos dividir as mudanças organizacionais nos seguintes grupos: 

  • Voluntária: A empresa entende que é hora de fazer modificações e muda por vontade própria;
  • Incremental: é a mudança focando em acrescentar algo na empresa; 
  • Evolucionária: Mudanças são feitas visando um objetivo específico;
  • Revolucionária: São transformar significativas diretamente no DNA da empresa;
  • Transformacional: não há acréscimo de processos ou etapas, mas, sim, mudanças em coisas que já existem dentro do negócio;
  • Involuntária: são mudanças que a empresa se vê obrigada a fazer para conseguir continuar a atuar. 

Qual a importância de ter um mindset maleável sobre mudanças organizacionais? 

O mercado está constantemente mudando e exigindo que as empresas sigam essas mudanças. Até menos de duas décadas atrás, nunca ninguém ia imaginar canais de comunicação como as redes sociais, aproximando consumidores de empresas. 

Novas tecnologias como o PIX, nem mesmo estavam funcionando até o ano passado. Ou seja, a evolução é cada vez mais rápida e constante. 

Por isso, é importante manter um mindset maleável e flexível, que consiga se adaptar facilmente às novidades e tendências. 

Há 50 anos atrás, as empresas estavam habituadas a manterem o seu modus operandi por décadas sem modificações. Mas hoje em dia, essa não é mais uma realidade.

Novas tecnologias e transformações na sociedade têm acelerado essas mudanças. Logo, sua empresa precisa ser facilmente adaptável. 

A pandemia foi um teste para isso. Empresas que não conseguiram se adaptar rapidamente para o Home Office tiveram muita dificuldade. O mesmo vale para restaurantes que não migraram para o delivery. 

Ter um mindset maleável se tornou indispensável, tendo em vista que não seguimos mais uma linearidade. E apenas mantendo essa característica que sua empresa poderá manter os bons resultados. 

Conta pra mim, qual a sua maior dificuldade ao pensar em mudanças organizacionais na sua empresa?

Quer receber mais dicas para melhorar os resultados do seu negócio e incentivar a sua equipe? Então não deixe de assinar a nossa newsletter

Categorias
Gestão de Pessoas Gestão Empresarial

O que é Gestão Esportiva e porque nunca me ensinaram isso?

A Gestão Esportiva nada mais é do que a utilização de diferentes tipos e conhecimentos, técnicas e estratégias de áreas como a Ciência dos Esportes e a Administração, de modo que seja possível gerenciar organizações e atividades que tenham como foco esportes e práticas esportivas.

Ela engloba não apenas a liderança de talentos dentro da equipe, mas, também outros aspectos fundamentais para que um time tenha bons resultados e consiga continuar a atuar, como, por exemplo, o desenvolvimento e fortalecimento da parte financeira. 

Esse é um tipo de conhecimento que poucas pessoas sequer sabem que existe. Isso porque, não há uma exploração sobre o assunto. Quando falamos de organizações com foco no esporte, a maioria das pessoas pensa apenas nos talentos esportivos, contratações e etc. 

Mas a verdade é que, para ser um gestor esportivo de sucesso, que consiga resultados com o seu time, é necessário um amplo conhecimento em diversas áreas, bem como a aplicação de diferentes estratégias. 

Qual a importância de manter uma boa gestão esportiva? 

A gestão esportiva, quando praticada corretamente, pode trazer vários benefícios para a organização bem como os atletas. Por isso que aprofundar os conhecimentos dentro dessa área pode ser a chave para sua equipe. 

O curso “Gestor Esportivo 2.0” de Felipe Ximenes, por exemplo, traz uma nova visão sobre esse tipo de gestão e as relações humanas. Ele traz um panorama completo sobre estratégias de comando que podem ser aplicadas, bem como tudo que é necessário para que você desenvolva suas próprias técnicas. 

De modo geral, quando você busca esse tipo de conhecimento sobre a gestão esportiva, é possível obter diferentes benefícios, tais como: 

  1. Insights baseados em dados

Esportes são dados! Estatísticas, resultados de jogos, métricas de desempenho de atletas, todas essas informações podem ser usadas para otimizar os resultados do seu time, e, assim atingir as suas metas.

Atualmente existem diversas plataformas que podem analisar esses dados e oferecer insights, mas, apenas se especializando nesse assunto será possível aproveitar ao máximo essas informações.

  1. Desenvolvimento de políticas de governança que ajudem a organização 

Outra vantagem que você pode obter ao fazer um curso especializado em gestão esportiva, é obter o conhecimento necessário para desenvolver políticas de governança que permitam uma comunicação mais clara e transparente dentro da organização, e ajudem tanto internamente quanto externamente.

  1. Se baseie em modelos empresariais de sucesso 

Felipe Ximenes, que desenvolveu o curso “Gestor Esportivo 2.0” tem mais de 35 anos de experiência no assunto, estando à frente de várias organizações esportivas brasileiras. 

Logo, ao realizar a especialização, você também terá contato com alguns dos principais modelos empresariais de gestão esportiva de sucesso, o que te dará o embasamento necessário para desenvolver a sua própria estratégia, e, assim, permitir que o seu time também se torne um case de sucesso dentro da área de esportes. 

Quer saber mais sobre o curso de Gestão Esportiva de Felipe Ximenes? Então aproveite para acessar o link agora mesmo e garanta agora mesmo o seu! 

Categorias
Curiosidades Gestão Empresarial

6 pilares de uma boa Gestão de Negócios! Confira!

Como está Gestão de Negócios na sua empresa? Essa pode parecer uma pergunta boba para muitos, afinal, se um empreendimento está em funcionamento, uma equipe gerindo ele, correto? Errado! 

Na verdade, são poucas as empresas que efetivamente possuem uma gestão eficiente, que pensam não apenas no presente, mas no futuro a médio e longo prazo. 

Uma pesquisa realizada pela consultoria Falconi revelou que  67% mantém algum tipo de modelo de gestão, mas não eficiente. Apenas 5% dos empreendimentos ouvidos revelaram que possuem um modelo realmente estruturado. E isso explica muitas dificuldades que os empreendedores têm dentro do mercado. 

Manter uma Gestão de Negócios eficiente é um desafio diário. Mas, existem 6 pilares fundamentais para que você alcance bons resultados. 

  1. Colaboradores engajados

Colaboradores engajados são essenciais. Quando você tem profissionais motivados e alinhados com os objetivos do seu negócio, os resultados tendem a vir naturalmente. 

E manter esse engajamento exige diferentes estratégias, tais como:

  • Promover a capacitação e treinamento constante dos colaboradores;
  • Incentivar a tomada de decisões;
  • Receber e dar feedbacks constantes;
  • Criar um ambiente de trabalho que promova a criatividade e a proatividade;
  • Captação constante de talentos;
  • Capacitação de lideranças que possam incentivar ainda mais as equipes. 
  1. Gestão financeira

Esse é um dos principais pilares da Gestão de Negócios. Afinal de contas, apenas com uma saúde financeira forte que um negócio pode crescer.

Para alcançar essa estabilidade, é necessário planejar cada passo do negócio, bem como analisar constantemente todos os gastos e ganhos envolvidos. Além disso, o foco na otimização das finanças também é indispensável. 

  1. Processos claramente definidos 

Uma empresa sem processos bem definidos tende a cair na desordem. Demandas se acumulam, profissionais não sabem mais quais são suas funções, e os resultados se perdem ao longo do caminho. 

Por isso, tenha todas as operações, processos e etapas do seu negócio bem definidas. Assim, será mais fácil indicar possíveis gargalos. 

  1. Tributos sempre organizados

Toda empresa precisa pagar tributos, isso é uma realidade do MEI até as gigantes. E quanto maior o negócio, mais tributos entram na conta. 

Manter esses encargos em dia e organizados é essencial, uma vez que qualquer deslize pode significar grandiosas multas e até mesmo a suspensão da sua atividade. O mesmo vale para adequações e legislações, como, por exemplo, a tão falada LGPD. 

  1. Acompanhamento de indicadores estratégicos de mercado

Por último, mas não menos importante, o último pilar para uma gestão de negócios eficiente é acompanhar os indicadores estratégicos de mercado do seu negócio e dos concorrentes. Desde métricas gerais, como faturamento e crescimento, até específicas do seu negócio. 

Nesse sentido, também vale ressaltar o uso de Business Intelligence (BI). Esse tipo de estratégia permite que você faça uma captação e análise detalhada dos dados do seu negócio que poderão ser usados para a elaboração de planos estratégicos poderosos, bem como obtenção de insights. 

Gostou dessas dicas? Então não deixe de acompanhar o nosso blog para ficar por dentro das principais tendências do mercado de negócios. 

Categorias
Curiosidades Gestão Empresarial

Você já conhece as metodologias ágeis e sua importância?

 O uso de metodologias ágeis já vinha crescendo há algum tempo nas empresas. A pandemia acelerou  esse crescimento. 

Segundo pesquisa recente da plataforma de softwares ­Digital.ai, o interesse por esse tipo de metodologia cresceu 20%. E um dos motivos é justamente os benefícios que esse tipo de abordagem pode trazer. 

Hoje vamos falar mais sobre essa tendência entre empresas. 

Quais os tipos de metodologias ágeis? 

  1. Scrum

Uma das técnicas mias utilizadas por ser extremamente adaptável. Ela se baseia na utilização de  “sprints” onde é possível fazer o planejamento por etapas, e, assim, garantir entregas mais rápidas. 

  1. Lean

Essa é uma metodologia que visa, principalmente, a redução de desperdícios. Através dela é possível criar valor para o cliente, mas com o mínimo de recursos, de modo que os resultados cresçam de maneira contínua.

  1. Kanban

O Kanban tem como foco dar mais visibilidade para os processos que estão sendo realizados pela equipe, dando mais agilidade para o desenvolvimento.

Aqui, todas as tarefas e projetos são divididas em três etapas: 

  • “TO DO” (tarefas a serem feitas), 
  • “DOING” (em andamento) 
  • “DONE” (Concluídas)
  1. eXtreme Programming (XP)

A metodologia XP, por sua vez, se baseia em agilidade, economia e qualidade.  Para isso, são utilizados feedbacks sobre cada etapa de produção, que são dados por ambas as partes. 

Dessa forma é possível focar no aperfeiçoamento constante. 

Quais as vantagens de usar esse tipo de metodologia? 

Além de otimizarem a produção e desenvolvimento de tarefas, as metodologias ágeis também trazem muitas vabtagens para o seu negócio:

  1. Entregas rápidas

Um dos grandes diferenciais desse tipo de abordagem é que ela se baseia em um cronograma de prazos, bem como na otimização de processos. Dessa maneira, é possível garantir que as entregas sejam mais rápidas. 

  1. Qualidade do produto

Todo empreendedor quer ter o produto final em mãos o quanto antes. Afinal, qualquer tempo economizado irá refletir nos resultados do futuro. No entanto, de nada adianta ter o produto entregue rapidamente, se ele não tiver a qualidade necessária.

Com as metodologias ágeis é possível garantir ambas as coisas. Como as abordagens se baseiam em cronogramas, as entregas são feitas rapidamente, mas, sem que a qualidade do produto final ou os objetivos da organização sejam afetados por isso. 

  1. Redução de riscos e custos

Quando estamos desenvolvendo um produto, sempre buscamos menos riscos e custos. Mas os processos tradicionais de desenvolvimento muitas vezes não focam tanto nesses dois aspectos, uma vez que eles não levam em consideração as particularidades de cada etapa. 

No caso dos métodos ágeis, cada etapa é encarada de forma única, com cuidado adicional. Dessa forma, a equipe pode ter um foco maior em evitar falhas no resultado final, e ainda buscar por minimizar os custos do desenvolvimento. 

Vamos bater um papo sobre as metodologias ágeis? Aproveite para deixar nos comentários as suas dúvidas sobre o assunto!